sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Flores tristes convertidas em palavras

Fragmentos dos escritos, aqueles que ainda permanecem em mim [!]

..."Parece um ataque neurastêmico. E, infelizmente, você está sendo focada pela minha loucura. Quero deixar claro que, a única coisa qu'eu não desejo a você, é vê-la sob minhas injúrias desenfreadas, meus julgamentos, meus devaneios imprecisos... como uma marionete.
em meio a essa empreitada, comecei a achar que você estava se expulsando voluntariamente de mim. Na verdade, criei todas as circunstâncias que corroborassem essa verdade concebida ou meramente criada, juntei peças de fatos ocorridos.
Acho que estou tentando criar para mim um motivo para não deixar nosso convívio seguir seu curso e, com meu clássico e doentio receio de me apegar aos outros, acho também que quero que o motivo seja tal que me faça sentir-me vítima, e não cupada; que me faça, sobremaneira, não ver as coisas como se mostram latentemente, e com vivacidade. Perdê-la seria horrível!

P.S.: Estou predendo minhas lágrimas. Queria muito teu abraço agora"

4 comentários:

Anônimo disse...

(...)

O lado quente do ser disse...

Desculpa a invasão, mas não pude evitar, fiquei tocadas pelas tuas palavras e apenas queria elogiar. Escreves bem e continuarei a observar seu blog, rsrsrs
se não se importar
bom dia :)

Rayane disse...

que maravilha hen?!
Pow, sou de bsb sim, vc está por aqui?
Em qual lugar?

abraços =**

Iasmynne Kelly disse...

escreves bem!